logotipo gota

Notícia

LIS-Water intervém no Simpósio de Alto Nível sobre a Água

A LIS-Water foi convidada a intervir na segunda mesa-redonda ministerial do Simpósio de Alto Nível sobre a Água, intitulada “Serviços de água e saneamento ligando o SDG6 e o SDG14”. Este simpósio foi integrado no Congresso dos Oceanos, organizado pelas Nações Unidas.

Na sua intervenção começou por recomendar as três medidas que devem ser implementadas para fomentar a poupança de água pelos consumidores. (i) Importa começar por reforçar a perceção, pela sociedade, do valor real da água e dos serviços associados, de forma a transformar comportamentos dos consumidores, o que se pode conseguir através da comunicação, da educação e de incentivos. Não é aceitável continuar a haver uma perceção pública errada de uma disponibilidade ilimitada da água, como ainda acontece em muitos países. (ii) Importa também melhorar a eficiência hidráulica e energética das instalações de água em edifícios, para fins domésticos e não domésticos, através da certificação dos equipamentos e da introdução de uma classificação da eficiência, área onde podemos poupar mais de 30% da água em muitas situações. (iii) Importa finalmente melhorar a eficiência hidráulica e energética dos sistemas públicos de abastecimento, através do controlo de perdas de água nas redes de abastecimento, melhor gestão de ativos, reabilitação de tubagens, etc., área onde podemos poupar mais de 20% da água em muitas situações.

Recomendou também as três medidas que devem ser implementadas para promover a circularidade da água. (i) Importa adotar uma abordagem mais holística, utilizando origens alternativas de água, combinando águas superficiais e subterrâneas, águas residuais tratadas para reutilização, águas pluviais e águas do mar dessalinizadas, misturando-as entre si ou utilizando águas de diferentes qualidades para diferentes utilizações. (ii) No presente, importa fazer uma evolução do conceito tradicional de gestão dos serviços de águas, que utiliza recursos para produzir serviços, para um novo conceito de gestão mais moderna e circular, na qual são utilizados menos recursos para a produção dos mesmos serviços. (iii) No futuro, importa fazer uma evolução das infraestruturas lineares para infraestruturas circulares, introduzindo gradualmente, em infraestruturas a construir ou a reabilitar, a separação das águas residuais orgânicas das águas cinzentas, potenciando assim a economia circular, facilitando a produção de água, energia, fertilizantes e outros produtos.

Finalmente recomendou os três instrumentos económicos que devem ser utilizados para promover a circularidade, que necessitam todos eles de grande empenho político. (i) Importa utilizar incentivos fiscais associados aos recursos hídricos, como as taxas de captação de água e as taxas de descarga de águas residuais, que em geral não existem ou têm um valor simbólico, não o suficiente para influenciar o comportamento dos utilizadores e para tornar a economia circular atraente. (ii) Nos mecanismos de subsidiação, quando existentes, importa condicionar a sua utilização à melhoria dos serviços numa perspetiva de crescente circularidade. (iii) Importa utilizar incentivos económicos, aplicando as tarifas necessárias para cobrir os custos eficientes dos serviços de águas, que devem ser pagos pelos consumidores, criando incentivo económico para reduzir os consumos, e não pelos contribuintes, onde não existe esse incentivo.

Link para a ligação com a gravação do Simpósio

Partilhar

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter

Acompanhe a nossa atividade.

Mensagem de boas-vindas

A visão da Associação LIS-Water – Lisbon International Centre for Water é contribuir para um mundo melhor através de uma melhor governança da água. Promove assim serviços de abastecimento de água e de gestão de águas residuais e pluviais mais eficazes, eficientes e resilientes, no quadro dos objetivos de desenvolvimento sustentável.

Estes serviços de águas são essenciais para o bem-estar dos cidadãos e para as atividades económicas, com um claro impacto na melhoria da saúde pública, da sustentabilidade ambiental e da mitigação de riscos, nomeadamente decorrentes de alterações climáticas. Geram benefícios em termos de criação de emprego, de crescimento económico, de incremento da estabilidade social e de redução de conflitos, contribuindo para uma sociedade mais desenvolvida, pacífica, equitativa e saudável.

A missão da LIS-Water é assim reforçar as políticas públicas, a regulação e a gestão dos serviços de águas para benefício da sociedade, integrando o melhor conhecimento em gestão, economia, engenharia, direito, ciências sociais, comunicação e noutras áreas relevantes.

Em conjunto com os seus parceiros, a associação pretende disponibilizar e produzir o melhor e mais atualizado conhecimento a nível internacional e transferi-lo continuamente para decisores, profissionais da água, indústria e sociedade.

Daremos assim o nosso contributo para que se atinjam os grandes desígnios da Humanidade relativos a uma melhor governança da água, por um mundo melhor.

O Conselho de Administração

Jaime Melo Batista

Presidente do Conselho de Administração

Eduardo Marques

Vogal do Conselho de Administração

José Matos

Vogal do Conselho de Administração

Cuidamos dos serviços de águas, essenciais ao bem-estar da sociedade.

Os membros da LIS-Water representam os principais agentes do setor da água em Portugal.

Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC)

Instituição pública de investigação e desenvolvimento científico e tecnológico de Portugal, sendo um dos maiores laboratórios de engenharia civil do mundo.

Fundação para os Estudos e Formação nas Autarquias Locais (FEFAL)

Entidade sem fins lucrativos, constituída pela Associação Nacional de Municípios Portugueses, para a realização de ações de informação, formação, investigação, assessoria técnica, cooperação internacional em temáticas relevantes para as Autarquias Locais.

Associação das Empresas Portuguesas para o Sector do Ambiente (AEPSA)

Associação empresarial que representa e defende os interesses coletivos das empresas privadas com intervenção no setor do ambiente, constituindo-se como um interveniente dinamizador do desenvolvimento do mercado do setor do ambiente.

Parceria Portuguesa para a Água (PPA)

Rede de entidades que visa desenvolver sinergias e maximizar potencialidades para o desenvolvimento do sector da água no mundo, promovendo a alianças e parcerias entre as instituições nacionais e nações empenhadas no uso sustentável da água e na valorização dos recursos hídricos.

Este website utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar, você concorda com o seu uso. Pode controlar estas configurações aqui.